Petianas publicam artigo no 14º Congresso Íbero-Latinoamericano del Asfalto

O Controle da temperatura de uma mistura asfáltica é um procedimento indispensável para que se possa obter uma camada de revestimento de boa qualidade.

Este procedimento deve ser iniciado desde o processo de industrialização da mistura na usina, passando pelo recebimento da mistura na obra e concluído com o controle de compactação da camada.

Com o controle da temperatura em todas estas etapas é diminuída a ocorrência de várias patologias prematuras no revestimento que estão associadas ao superaquecimento de ligante durante a usinagem e temperaturas não adequadas para espalhamento e compactação da mistura em campo. Tradicionalmente o controle de temperatura é realizado principalmente através de termômetros de mercúrio. Entretanto, termômetros a laser e câmeras infravermelhas também vem sendo utilizados para tal finalidade. Este trabalho tem como objetivo efetuar medições da temperatura da mistura asfáltica em diferentes momentos do processo construtivo, através do uso de câmeras infravermelhas, e a partir dos resultados obtidos, avaliar a sua adequabilidade quando comparada aos outros métodos tradicionalmente utilizados.

As medições de temperatura foram realizadas pelas petianas Carolina Piccoli Karin Rodrigues Baran em obras na região de Florianópolis, utilizando os termômetros de mercúrio e a laser e também a câmera infravermelha.

Os resultados obtidos mostraram a potencialidade do uso da câmera infravermelha, em substituição aos termômetros, para o controle da temperatura da mistura bem como avaliar a homogeneidade da temperatura mistura em toda a largura da camada espalhada. Entretanto é necessário que se tenha uma calibração prévia do equipamento devido às diferenças de emissividade da mistura asfáltica, a qual varia em função da magnitude da temperatura que se está medindo.