Avaliação de Diodos Emissores de Luz (LED) como Fonte Luminosa em Edifícios

Avaliação de Diodos Emissores de Luz (LED) como Fonte Luminosa em Edifícios

Resumo

O consumo de energia com iluminação é responsável por 19% da energia elétrica gerada no mundo, e, no setor residencial brasileiro, representa cerca de 14% do consumo total. A principal fonte de iluminação utilizada em edificações em todo o mundo é a lâmpada incandescente, as quais apresentam baixa eficiência luminosa e curto período de vida, causando um grande impacto ambiental. Faz-se necessário, para suprir a demanda crescente por energia, a substituição das fontes de iluminação ineficientes.

Lâmpadas fluorescentes e de descargas de alta intensidade já predominam em muitos países, pois apresentam uma elevada vida-útil, fornecem muitos lumens por lâmpada e por estarem consolidadas no mercado. Contudo, mesmo essas tecnologias possuem deficiências, de modo que é necessário continuar o desenvolvimento de novas alternativas. Nesse contexto, a tecnologia Light Emitting Diode (LED) vem sendo amplamente estudada e desenvolvida, pois possui inúmeras vantagens e potencial para substituir lâmpadas menos eficientes.

O LED é um diodo semicondutor que emite energia sob a forma de fótons ao ser percorrido por uma corrente elétrica. Dentre suas vantagens pode-se citar: tempo de vida longo, acima de 50.000 horas, dimensões externas reduzidas, melhor gerenciamento térmico que as fontes convencionais de iluminação, ausência de mercúrio em sua estrutura, não emissão de raios infravermelhos, sendo menos prejudiciais à saúde, ampla faixa de temperatura operacional e grande gama de temperaturas de cor controláveis.

O objetivo deste trabalho é descrever a tecnologia LED utilizada em iluminação, em relação a características de sua estrutura, características térmicas, cor e temperatura da luz, eficiência, vida-útil e viabilidade econômica. Busca-se também compará-la com sistemas de iluminação convencionais disponíveis no mercado, tais como lâmpadas incandescentes, halógenas e fluorescentes, avaliando os aspectos técnicos e inserção no mercado.

Publicações

Seminário de Iniciação Científica 2015 (SIC)