O Primeiro Gigante

O Primeiro Gigante

Uma obra com 102 andares, totalizando 447 metros de altura e pesando incríveis 365 mil toneladas, construída em apenas 1 ano e 45 dias e constituída por 57 mil toneladas de aço, 5663m³ de brita, 10 milhões de tijolos e 730 toneladas de alumínio e aço inoxidável. Para a engenharia civil, um marco; para o povo norte-americano, um símbolo de força e recuperação sobre a Grande Depressão de 1929. Não importa quais olhos o vêem: o imponente Empire State Building chama a atenção na cidade de Nova York.

Trabalhador

Trabalhador sem equipamentos de segurança durante a construção.

A intersecção da 5a Avenida com a West 34th Street, em Nova York, foi o local escolhido para a construção de um dos principais atrativos da cidade. É dito que, em conversas iniciais, o empresário John Jacob Raskob questionou o arquiteto William Lamb sobre quão alto poderia ser o edifício sem que o mesmo caísse. Com seu estilo baseado no Art Déco – estilo artístico surgido na Europa na década de 20 – o Empire State Building não foi apenas o mais alto da época, como também manteve esse título por mais de 40 anos, até que em 1972 perdeu o posto para o World Trade Center.

Projetado de cima para baixo em apenas duas semanas pelo escritório de arquitetura Shreve, Lamb & Harmon, foi baseado no projeto do edifício Reynolds de Winston-Salem, localizado na Carolina do Norte. As escavações no local da obra começaram dia 22 de janeiro de 1930 e a obra em si começou a ser erguida no dia 17 de março do mesmo ano. Um calendário rígido e mais de 3000 trabalhadores marcaram o canteiro de obra, tendo com isso uma média de 4,5 andares construídos por semana.

ESB-construção

Etapas da construção do Empire State Building.

 No dia primeiro de maio de 1931, o arranha-céu símbolo de Nova York foi inaugurado. Herbert Hoover, presidente dos Estados Unidos na época, acendeu o sistema de iluminação do edifício ao apertar os botões em Washington. Um fato curioso é que, após sua inauguração, o segundo uso das luzes do Empire State Building foi justamente para sinalizar a derrota de Herbert para Franklin D. Roosevelt nas eleições presidenciais que ocorreram em novembro de 1932.

A iluminação do Empire State Building, por sinal, é um atrativo a parte: por conta de alguns feriados e datas comemorativas, o edifício é iluminado de diferentes cores. Por exemplo, após o atentado terrorista ao World Trade Center, em 2001, as cores tradicionais da bandeira norte-americana – vermelho, branco e azul – permaneceram por muitos meses, e, tradicionalmente, todos os anos no dia 15 de setembro, a iluminação fica verde, branco e vermelho, comemorando o dia da independência do México.

Iluminação

Empire State Building com iluminação natalina.

Por ser o primeiro prédio do mundo com mais de 100 andares, sua grandeza atrai a cada ano um número próximo de 4 milhões de visitantes. A vista de seu observatório é algo espetacular, sendo que de lá é possível ver 5 estados americanos: Nova York, Nova Jersey, Massachusetts, Pensilvânia e Connecticut. A construção é tão icônica para o país que no dia dos namorados, casais podem se casar no Empire State Building e, desde 1978, há uma corrida pelos 1576 degraus do arranha-céu. Um fato triste em sua história é que sua imensidão nem sempre atraiu pessoas pela admiração: mais de trinta pessoas cometeram suicídio do topo do edifício.

 Admirado tanto por engenheiros e arquitetos como por leigos, o Empire State Building continua a mexer com a imaginação e com o sentimento de todos: não é à toa que inúmeros filmes o utilizaram como cenário, sendo o mais famoso deles o filme de 1933 King Kong. A paixão que o povo nova-iorquino sente por esta obra não pode ser medida pelas suas dimensões, mas uma coisa é certa: até hoje, o gigante de Nova York mantém-se como um dos primeiros a, graças à engenharia civil e arquitetura, tocar o céu.

Cena do filme King Kong (1933) com o Empire State Building ao fundo.

Cena do filme King Kong (1933).

Autoria: Matheus Dalmedico Flores