Reunião Cultural – A história da cerveja

Reunião Cultural – A história da cerveja

No dia 3 de março, durante a concentração do grupo PET para desenvolver o planejamento anual, a petiana Leticia Dalpaz apresentou sua reunião cultural. O tema surpresa escolhido foi ‘A história da cerveja’.

fabrejas_final

Figura 1 – Processo de produção da cerveja

 A cerveja, bebida apreciada mundialmente, é produzida através da fermentação de materiais com amido, principalmente cereais maltados como a cevada e o trigo. Sua classificação leva em consideração 5 características: a fermentação, o extrato primitivo, a cor, o teor alcoólico e a proporção de malte de cevada.

Após a apresentação sobre sua história, produção e algumas curiosidades, os petianos foram convidados a provar diversos tipos de cerveja, para que pudessem perceber as diferenças de texturas, cor e sabor da bebida.

Figura 2 – Diferentes tipos de cervejas experimentadas pelo grupo.

Curiosidades:

  1. Primeira cerveja em lata: Foi da norte-americana Krueger’s, lançada em 1935. A lata precisava de um abridor para ser aberta;

  2. O chamado colarinho ou gravata da cerveja tem uma função importante: reter o aroma e evitar a libertação do gás carbônico;
  3. O primeiro acidente de trânsito envolvendo um bêbado foi registrado 2.000 a.C. O condutor da charrete destruiu uma estátua de um deus e foi penalizado com a morte. Seu corpo foi pregado na porta da taberna que vendeu a cerveja para ele e ficou lá até sobrar somente os ossos;
  4. Em 1814 um tanque de cerveja que tinha 3.500 barris de cerveja se rompeu causando um maremoto de cerveja em Londres. 2 casas foram demolidas e 9 pessoas morreram;
  5. A cerveja mais forte do mundo tem 67,5% de álcool e chama-se Snake Venom. É uma cerveja extremamente forte, mas  muito saborosa. A garrafa com 275 ml sai por 50 libras;
  6. Uma garrafa da  Antarctic Nail Ale, uma iguaria produzida pela cervejaria australiana de Perth, acabou saindo por 800 dólares, num leilão. O motivo? A água utilizada na fabricação era proveniente das geleiras da Antártida;
  7. O chamado “livro dos recordes” – The Guiness Book – leva o nome da cerveja irlandesa cuja história teve início em 1975, a “Guiness”. Hugh Beaver era presidente da cervejaria em 1951 e se envolveu numa discussão durante uma caçada na Irlanda sobre qual seria a ave de caça mais veloz da Europa. Percebendo que não havia livros em que ele pudesse conferir a resposta, Beaver decidiu fazer “Guinness Book of Records” e batizou a publicação com o nome da cerveja;
  8. Cenosillicafobia: Este é o nome dado ao medo de um copo vazio. Pode manifestar-se em uma série de circunstâncias e os sintomas podem ser desde um simples desconforto, na melhor das hipóteses, a algo aterrorizante. Portanto, na dúvida, que nossos copos estejam sempre cheios!

simpson-beer-2