Ultrassom em estruturas de concreto

Ultrassom em estruturas de concreto

Comumente em obras de construção civil e engenharia, ocorrem vários tipos de manifestações patológicas nas edificações, muitas vezes causadas por erros de execução como a má compactação do concreto, responsável pelo aparecimento de vazios e descontinuidades em sua massa endurecida. Com o objetivo de analisar essas descontinuidades sem que haja o comprometimento da estrutura, são usualmente utilizados os ensaios não destrutuivos (END’s). Um dos ensaios não destrutivos mais utilizados é o de ultrassom no concreto, que consiste em utilizar um equipamento dotado de dois transdutores que emitem pulsos ultrassônicos (ondas sonoras)  através do concreto. Estas ondas atravessam as regiões mais densas do concreto, contornando os espaços vazios e as descontinuidades. Assim, é medido o tempo para que uma onda atrevesse a peça do concreto, e quanto mais longo for o tempo, maior foi o caminho pelo qual as ondas atravessaram, o que indica maior incidência de descontinuidades. Este ensaio já é bem difundido no Brasil e é regido pela norma NBR 8802 – Concreto Endurecido – Determinação da velocidade de propagação de onda ultrassônica.

Esta pesquisa realizada pelos petianos Albert Luiz Follmann e Bruno Teles Cordeiro busca analisar outros parâmetros dos pulsos ultrassônicos que atravessam o concreto, como a energia das ondas e sua amplitude máxima e mínima, parâmetros estes que podem ser mais sensíveis para qualificar o concreto do que apenas a velocidade de propagação da onda. O estudo se iniciará com uma fase experimental, com a confecção de corpos de prova e peças de concreto para a utilização no ensaio de ultrassom. Posteriormente, com os dados obtidos, fará-se uma analise dos dados obtidos de cada parâmetro estudado, culminando em um artigo científico.